Planeta dos Macacos: O Confronto é um filme que dá um passo além de seu antecessor, Planeta dos Macacos: A Origem. Com efeitos especiais ainda melhores, sua trama é tão tensa quanto à do primeiro e deixa todo mundo querendo saber o que vai rolar no próximo. Todos apostam em uma grande guerra entre humanos e macacos. Pode ser. Mas e depois? O que resta para o quarto filme dessa nova franquia? Ninguém quer tocar no assunto, mas é muito claro pra mim. O título será Planeta dos Macacos: Sexo Interespécies.

Chocante? Apelativo? Eu acho que não. É parte natural do processo evolutivo, minha gente. Cientistas acreditam que os Homos Sapiens cruzaram em tudo que é posição com os Neandertais. Por que não? E quem viu o primeiro filme da antiga franquia, de 1968, que mostra o futuro da Terra, sabe que os macacos todos estarão falando bem paca e até usando roupas humanas. Vocês acham que os macacos assimilaram essas coisas das pessoas só na base do voyeurismo? Não, foi através de muita relação íntima, quebra de tabus, amores proibidos e talvez alguma depilação pra deixar tudo mais compatível.

Ainda acha delírio? Ora, esse tipo de relação entre humanos e símios sempre foi insinuada em várias manifestações do entretenimento. Nunca esquecerei o conto O Macaco, do genial Nelson Rodrigues, que narra o drama de uma noiva que desiste do casamento depois que se apaixona por um gorila no zoológico. O quase tão genial João Carvalho, humorista e diplomata mineiro, costuma dizer que tem o desejo ardente de levar a AIDS de volta para os macacos. Não estão satisfeitos? O que me dizem de King Kong?

E a abertura do velho humorístico Planeta dos Homens?

E toda essa tensão sexual na versão micada de Tim Burton?

Não vou nem falar da relação entre Tarzan e Chita, porque isso é só especulação e eu não faço fofoca, só lido com fatos. E agora que vocês já me deram razão sobre o quarto filme da nova série ser sobre sexo entre macacos e humanos, nos cabe imaginar como serão essas interações. Eu acho que depois de subjugarem o Homo Sapiens, alguns símios vão ficar atraídos por seus escravos, que como dominados vão acabar vendo alguma vantagem nesse nheco-nheco. No meio das safadezas, os humanos vão acabar transmitindo conhecimentos específicos sobre o tema que dominam há milênios, inclusive o mercado do sexo e todas as profissões que o envolvem.

Sabe-se, pelos filmes antigos, que os macacos vão desenvolver um sistema de castas, com gorilas sendo militares, orangotangos como legisladores, e chimpanzés atuando como cientistas e intelectuais. Nada mais lógico que outras espécies também se especializem. Eu me arriscaria a dizer que os bonobos, com seu famoso apetite sexual, serão atores de filmes para macacos adultos. As strippers macacas serão as babuínas, com seus traseiros chamativos. Você deve estar se perguntando que espécie vai labutar como prostitutas. Óbvio: as capuchinhas. Por quê? Porque sou um cara sério e fundamento todo meu pensamento na lógica ou em estudos científicos como esse: “Macacos aprendem a usar dinheiro, apostar e se prostituir”. Pois é. Os macacos já estão aprendendo o que precisam para dominar este planeta.