A Coluna Musical mais TURBO de todos os universos (Um Oferecimento Conjunto Musical Satanique Samba Trio) #06

Nada como o primeiro jabá. Quer dizer… neste caso há várias coisas como o primeiro jabá porque eu não recebi um centavo sequer para falar do Satanique Samba Trio. Eu até pedi, mas não recebi. E não reclamei, também. Fato é que não foi por acaso que escolhi uma música do SS3, “Cabra da Peste Negra”, como parte da minha contribuição no todo que foi a concepção, gravação, edição e lançamento do Louco do Saco, lá no Satirismo.

Minha história com o SS3 data de uns bons 10, 11 anos atrás. Estava eu tranquilamente no ICQ quando fui adicionado por um sujeito que nunca tinha visto. Autorizei, co-adicionei e fui ver quem era. “Tudo bom?”, perguntei, cordialmente. “Tudo um LIXO, como sempre”, respondeu o lacônico desconhecido.

Seguinte…”, prosseguiu ele. “Queria que você ouvisse umas músicas da minha ORQUESTRA”. Sim, ele digita metendo umas palavras em CAPS; vício que eventualmente eu identificaria noutros círculos sociais da Web e acabaria adotando em conversas informais. Fui a um websítio e ouvi em streaming.

Agora vejam bem. Eu sou um humorista de trajetória torta no metodismo acadêmico que de vez em quando gosta de fingir que faz música. Pra organizar essa bagunça que fiz no meu porta-malas de conhecimento, trabalho com referências. Símiles. Metáforas. Figuras de linguagem. Paralelos. Traduções intersemióticas. Isto posto, ouvi algumas músicas da ORQUESTRA daquele estranho sedutor que me apareceu no ICQ. Sedutor o bastante pra eu nem me importar em perguntar onde diabos ele havia conseguido o meu contato no ICQ.
Ouvi aqui, cara”, respondi. “Me lembrou muita coisa do Hermeto Pascoal; e um pouco das paradas mais malucas dos Mutantes”. Imediatamente, a conversa mudou de rumo. O sujeito ficou irritado.Aparentemente, referências não caem muito bem nos olhos e ouvidos de um compositor de vanguarda. “Pelo visto vou ter que PARAR de tocar, então”. E desconectou.

Foi assim meu primeiro contato com o maestro Munha da 7, cabeça do Satanique Samba Trio e uma espécie de Chaves do 8 da vanguarda musical brasileira. Aquietado em seu barril de paranóia e mania de tristeza, por vezes sai para produzir a bagunça doutros músicos em palcos ou estúdios. Não é tão difícil de entender a figura. Quando ouviu uma amiga minha cantando numa gravação antiga e despretensiosa, Munha não conseguiu fugir do que lhe parecia óbvio: a menina estava desafinada por alguns Hertz. Sim. Hertz. Não tom ou semi-tom. Falo de coma e semi-coma. Não deve ser fácil ter esse naipe de sensibilidade auditiva sem um diagnóstico de esquizofrenia. Enfim… quando eu digo que gostei de algo que ele fez, ele pergunta “POR QUE?”. Quando eu explico, ele fica puto porque tou fazendo comparações. Acho que gosto do Munha porque ele me lembra minha mãe. Mentira. Minha mãe é um homem muito agradável.

Óia uns links aí:

https://www.facebook.com/SataniqueSambaTrio
http://www.youtube.com/user/BadTripTV